Início  /  PROJETO  /  AÇÕES  /  AÇÕES PREPARATÓRIAS
AÇÕES PREPARATÓRIAS

Estas ações visam o planeamento e preparação das ações de conservação previstas, bem como a elaboração de planos e estudos. Estas ações encerram um conjunto de atividades que através da produção de informação e/ou recomendações práticas apoiam a atuação do Projeto para a eficaz implementação das ações de conservação concreta.

As nove ações preparatórias do LIFE Imperial incluem, por exemplo, a identificação de medidas de gestão dos territórios de Águia-imperial, estudos de dieta e produtividade da espécie, a avaliação da disponibilidade de presas e da presença de outros predadores nos seus territórios. O desenvolvimento destas ações inclui ainda a transferência de conhecimento da experiência na gestão da espécie e no combate ás suas principais ameaças entre Portugal e Espanha.



Elaboração de cartografia de áreas prioritárias e identificação das intervenções prioritárias por território

Esta ação pretende identificar as prioridades de atuação em cada um dos territórios conhecidos de Águia- imperial-ibérica nas quatro ZPE de intervenção do Projeto. O objetivo é efetuar um diagnóstico das características de cada território, focado nos principais fatores negativos que possam influenciar o sucesso reprodutor da espécie. Desta forma, será possível hierarquizar a prioridade das intervenções a efetuar em cada território, para melhorar a qualidade do habitat para a espécie.



Avaliação da qualidade do habitat com base na dieta e produtividade

Esta Ação pretende avaliar, de forma indireta, a qualidade do habitat de alimentação e a disponibilidade alimentar através da análise da dieta dos casais, em particular durante o período reprodutor, e a relação da composição da dieta com a produtividade desses casais.



Elaboração de Protocolos de Colaboração e estabelecimento de uma Rede de Custódia

Esta Ação está subdividida em duas componentes: (1) Elaboração de Protocolos de Colaboração necessários para a boa execução das ações de compra de árvores e de gestão concreta e (2) Estabelecimento de uma Rede de Custódia para apoiar a conservação da Águia-imperial em Portugal.

Na componente 1 pretende-se o estabelecimento de Protocolos de Colaboração com proprietários e outros utilizadores do território rural (como agricultores, produtores florestais, gestores de caça, entre outros), com vista à implementação das medidas de gestão para melhorar a qualidade do habitat da Águia-imperial. Com a Rede de Custódia (componente 2) pretende-se criar uma rede de entidades e cidadãos que se comprometem a desenvolver esforços para a proteção desta espécie ameaçada especificamente nos territórios inseridos dentro dos limites das ZPE da área de atuação do Projeto.



Avaliação do impacte dos predadores nas espécies presa

Pretende-se que esta Ação forneça dados das áreas de intervenção do Projeto em relação ao potencial impacte da pressão dos predadores sobre a comunidade de presas e ter exemplos para apresentar aos gestores cinegéticos, clarificando o efeito do controlo de predadores no eventual aumento da abundância das presas. A Ação pretende contribuir para mostrar que a implementação de medidas de gestão do habitat sustentáveis é a alternativa mais eficaz para o aumento de presas. É também objetivo da Ação monitorizar a mudança de atitude pública face ao do uso de métodos de correção de predadores.



Elaboração do Plano de Ação Nacional para a Águia-imperial-ibérica

Nesta Ação pretende-se concretizar o Plano de Ação Nacional para a Águia-imperial que irá identificar as prioridades de ação e os meios necessários para a proteção da espécie. A sua elaboração será um processo participativo integrando as entidades relevantes e interessadas.



Estudo das causas que limitam o estabelecimento de casais

Esta Ação prevê a marcação de indivíduos de casais em que se registam taxas de substituição elevadas com recurso a emissores de Telemetria GSM, de modo a contribuir para identificar as causas de mortalidade, analisar aspetos essenciais do uso do território, identificar e caracterizar as suas áreas vitais, alterações do local do ninho, entre outros aspetos. Esta técnica irá ainda permitir direcionar algumas ações do Projeto para as áreas mais problemáticas ou prioritárias e estudar a interação com a presença humana, infraestruturas e outros fatores de risco ou perturbação.



Transferência de conhecimento e formação em ações de conservação para a Águia-imperial

Esta Ação está dirigida à transferência de experiências práticas de gestão da ÁGUIA-IMPERIAL já realizadas em Espanha, visando a sua aplicação coordenada e similar em Portugal. Para tal, foi previsto o desenvolvimento de 4 ações de formação e esclarecimento: 1. Intervenções em ninhos; 2. Alimentação suplementar; 3. Deteção e gestão de ameaças; 4. Técnicas de integração no meio natural de águias manipuladas ex situ.



Criação de Capacidade Cinotécnica para deteção de venenos

Esta Ação tem como objetivo a obtenção de 7 cães e o treino de 3 equipas cinotécnicas especializadas na deteção de venenos e de 1 coordenador, a incorporar no Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente da Guarda Nacional Republicana (SEPNA-GNR).



Intercâmbio ibérico de capacitação de luta contra venenos

Esta Ação inclui a realização de um curso de formação especializada para agentes da autoridade (SEPNA e ICNF), técnicos do Projeto e outras partes interessadas sobre o uso do veneno, incluindo aspetos de identificação de indícios, busca e recolha de provas ou determinação da data de morte, e um workshop ibérico para o intercâmbio de informação sobre a luta contra o veneno.



Compra de árvores adequadas à nidificação

Esta Ação visa a compra de árvores onde existam ninhos ou que apresentem elevado potencial para a nidificação de Águia-imperial-ibérica, de modo a evitar o seu corte ou quaisquer intervenções prejudiciais ao cumprimento desse objetivo, durante e após o período de execução do Projeto.